Sé de Braga

Localizada no centro histórico da cidade de Braga, é considerada um dos mais importantes templos do românico português. Começou a ser construída no final do século XI e rivalizava em poder com a Sé de Santiago de Compostela.

Nesta catedral poderá encontrar os túmulos de D. Henrique de Borgonha e sua mulher, D. Teresa de Leão, os condes do Condado Portucalense, pais do rei D. Afonso Henriques.   

A sua estrutura sofreu algumas alterações desde 1070 - quando começou a ser construída sob a Alçada do bispo D. Pedro. Com o passar dos séculos, este templo veio a ser alvo de sucessivas renovações, o que fez com que aquilo que pode ser observado atualmente seja um conjunto variado de estilos artísticos. 

Inicialmente, a planta da Sé de Braga era de grandes dimensões, compreendendo cinco naves, mas esta veio a ser reduzida no século XII, ficando assim o projeto final com um plano em cruz latina de apenas três naves. Ainda assim, o edifício manteve a sua harmonia construtiva e monumentalidade.

Do estilo românico inicial conservam-se a Porta do Sol, a planta com deambulatório, o pórtico principal e a absidíola do claustro de Santo Amaro, cujos arquitetos foram os prelados do Mosteiro de Cluny (França), São Geraldo e Maurício Brudino. No século XV, o estilo gótico impôs-se na construção da galilé de entrada no templo.

No século seguinte, durante o reinado de D. Manuel, introduziram-se outros elementos decorativos, dos quais se destaca a Pia Baptismal e, no exterior da capela-mor, um nicho com a estátua de Nossa Senhora do Leite, atribuída a Nicolau Chanterenne, e que integra o brasão da cidade. O estilo barroco não deixou de marcar presença, sobretudo na decoração interior dos altares, nas obras de talha dourada, no Coro Alto e nos órgãos monumentais da capela-mor, bem como nas duas curiosas torres sineiras que assinalam a fachada exterior.

 No Tesouro-Museu da Sé poderá ainda descobrir algumas peças ligadas à história deste espaço.

As colecções do Tesouro-Museu da Sé de Braga testemunham, no seu conjunto, mais de XV séculos da história da Arte e da vida da Igreja em Braga.

Detém um valioso acervo constituído pelas colecções de Ourivesaria, Escultura, Pintura, Têxtil, Mobiliário, Cerâmica, assim como, todo um conjunto de objectos ligados ao culto católico.

A Exposição Permanente, Raízes de Eternidade. Jesus Cristo - Uma Igreja, consagrada à arte sacra, permite, através dos diferentes núcleos, revisitar a vida de Jesus Cristo e a história da Igreja em Braga. Esta é contada tomando como referência alguns arcebispos, desde o século V até ao século XX. A narração é complementada com os núcleos dedicados à paramentaria e ourivesaria.


Horários e Visitas

De outubro a março, a Catedral encontra-se de portas abertas das 8h às 18h30. 

De abril a setembro encerra apenas às 19h.

Já o horário das visitas ao complexo é das 09h30 às 12h30, e das 14h30 às 17h30 (no Verão encerra às 18h30). 

O visitante pode escolher entre 3 circuitos visitáveis.


Como Chegar à Sé de Braga

Se ainda está a programar a sua visita, clique aqui para saber como chegar à cidade de Braga.

A maior parte dos monumentos e pontos de interesse estão localizados no centro histórico da cidade e a melhor forma de os conhecer é a pé. Desta forma conseguirá conhecer uma parte significativa da cidade sem recorrer a transportes. 

Se já está em Braga, deve ter como ponto de referência o Arco da Porta Nova que fica de frente à famosa Sé. Para aqui chegar, pode tomar vários percursos.

Desde a estação de autocarros, terá de percorrer cerca de 900m em direção à Sé Velha. Já desde a estação de comboios, são apenas 10min (750m) a pé. 

Siga pela rua Andrade Corvo e logo um pouco à frente irá passar pelo Arco da Porta Nova de 1512, dando entrada na parte antiga da cidade. Seguindo por uma das ruelas, logo irá encontrar a famosa Sé de Braga.

Endereço: Catedral de Braga, Rua D. Paio Mendes, 4700-424 Braga; 
Coordenadas GPS: N 41.54999° W 8.4269°