Santuário de Nossa Senhora do Sameiro

A história do monumental Santuário do Sameiro iniciou-se em 1863, quando o presbítero da arquidiocese de Braga, Martinho António Pereira da Silva, "lançou a primeira pedra" no cimo do monte para a construção de um pedestal para colocar uma imagem de Nossa Senhora da Imaculada Conceição.

Dada a grande afluência de peregrinos, tornou-se necessário construir algo mais expressivo. Em 1870 ergueu-se uma capela com 30 m de comprimento e 18 de

largura. Mas também esta cedo se revelou pequena demais para a fluência de peregrinos. Em 1890 iniciou-se a construção da atual Basílica.

Neste templo em estilo neoclássico, concluído em 1953, destacam-se no seu interior o altar-mor em granito branco polido, bem como o sacrário de prata e a imagem da padroeira, esculpida em Roma por Eugénio Maccagnano e trazida para o local em 1880; em frente, no exterior ergue-se um imponente e vasto escadório, no topo do qual se levantam dois altos pilares, encimados com a imagem da Virgem Maria e do Sagrado Coração de Jesus; e destaque ainda para as praças e para os jardins.

Note-se que na década de 1970 houve ainda a necessidade de aumentar o espaço, tendo-se construído uma cripta subterrânea.

O Santuário do Sameiro é atualmente o segundo maior centro de devoção mariana em Portugal.