Museu Têxtil

Esta antiga fábrica têxtil, acolhe atualmente o Museu Têxtil de Béjar, um espaço completamente remodelado e de grande força arquitetónica.

Desde o séc. XIII que é visível a presença da industria têxtil na cidade de Béjar, com a construção da Escola de Engenharias dedicada à temática e pelos empregos da época, que eram maioritariamente na industria têxtil. 

No séc. XV, já existiam pequenos centros de fabricação de tecidos, que se encontravam sob a tutela dos Duques de Béjar. Estes foram crescendo e conseguiram marcar um lugar importante dentro do mercado espanhol.

Para manter a posição no mercado, foi necessário "refinar" os produtos fabricados até então, pois os consumidores estavam a torna-se mais exigentes e apresentavam maior poder de compra. Assim, em 1691, a Duquesa contrata vários mestres flamencos que vêm ensinar os artesãos novas técnicas têxteis.

O crescimento das encomendas de fardas para o Exército, em 1715, tornou-se um dos pilares fundamentais que manteve esta industria em funcionamento até aos dias de hoje. 

Mais tarde, começaram a tingir-se os tecidos, e foram surgindo cada vez mais casas que possuíam máquinas de fiar e de cardar.

Para melhor se entender o processo de fabrico têxtil pode contemplar todo o ciclo têxtil desde o cardado, a fiação, a tecelagem, a tinturaria, até aos acabamentos. 

Como forma de dar a conhecer este património científico e técnico, foi então criado o Museu Têxtil, que alberga uma grande coleção de maquinaria têxtil diversa, assim como diversos trajes militares produzidos nesta cidade.