Museu Judaico

Pioneiro em Portugal, este museu pretende ser um espaço pedagógico-didáctico sobre o Judaísmo e a cultura do povo judeu. Ilustra a história dos judeus portugueses, as suas vicissitudes ao longo dos tempos e o contributo que trouxeram à cultura, arte, literatura, comércio e ofícios, 

A comunidade que, durante séculos, resistiu aos éditos de expulsão dos Reis Católicos, ao decreto de expulsão ou conversão de D. Manuel I, ao olhar vigilante da Santa Inquisição e às penas do seu tribunal, merece ser recordada. 

O espaço está dividido em três pisos. No primeiro existe um átrio/recepção, a loja do museu e um auditório; no segundo encontra-se a exposição permanente; enquanto o terceiro destina-se a exposições temporárias e a um Centro de Estudos Judaicos. Peças da Idade Média ao séc. XX, utilizadas por judeus e cristãos-novos no quotidiano ou nas práticas religiosas, encontram-se neste espaço museológico e acessível aos visitantes.

O jornal britânico Telegraph, colocou o museu na lista dos 50 melhores pequenos museus da Europa.

O Museu Judaico - renovado em 2017 - recebe mais de 30 mil visitantes por ano. Os conteúdos têm sido constantemente mudados e aprofundados, numa dinâmica rigorosa e muito interessante, fazendo deste museu um dos melhores do género em toda a Península Ibérica.