Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

Fundado por D. Mor Dias em 1283, foi extinto em 1311 após uma violenta contenda entre esta religiosa e os Crúzios (Monges de Santa Cruz). Em 1314, a Rainha Santa Isabel refunda o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, após a morte de D. Dinis recolheu a este Mosteiro, tendo sido aqui sepultada após a sua morte.

 O túmulo em que originalmente foi sepultada pode ser visto no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova.

Arquitetonicamente o destaque vai para os claustro e igreja pela sua dimensão, e para a abóbada em pedra que cobre as três naves simétricas.

Devido às cheias do Rio Mondego acabou por ser abandonado e entrou em ruínas. 

No séc. XX após escavações e profundas obras de recuperação, o Mosteiro pode ser visitado, contando ainda com um Centro Interpretativo, onde se encontram expostos objetos encontrados durante as escavações e que estão estruturados segundo a vivência monástica, a história do local e a sua requalificação são apresentados usando meios audiovisuais.