RIO DOURO

A sua beleza natural fazem do Rio Douro um dos ícones do Norte de Portugal, afirmando-se como uma dos elementos mais característicos da cidade do Porto. 

A região vinhateira do Alto Douro, onde se encontram as encostas responsáveis pela produção de Vinho do Porto, foi considerada Património da Humanidade pela UNESCO, e constitui uma das paisagens mais bonitas e emblemáticas do norte de Portugal.

Antes de chegar ao Oceano Atlântico, o Rio Douro passa por diversas cidades e zonas classificadas como Património Mundial, como é o caso de Vila Nova de Foz Côa, onde se encontra o maior museu ao ar livre de arte rupestre, o Alto Douro Vinhateiro e, finalmente, o Centro Histórico do Porto.

VINHO DO PORTO

As encostas do Douro, são responsáveis pela produção de um dos melhores vinhos do mundo, o Vinho do Porto. Este produto de excelência posicionou-se como marca distintiva do Vale do Douro e da cidade do Porto, levando o nome de Portugal pelo mundo inteiro.

Apesar de existirem vestígios de produção de vinho na região do Douro desde a Idade do Bronze, a designação de Vinho do Porto surge apenas na segunda metade do séc. XVII, devido ao rápido crescimento da exportação de vinho português, sobretudo para Inglaterra, graças ao Tratado de Methuen (1703). O Vinho do Porto ganhou tal notoriedade na Grã-Bretanha que muitas empresas acabaram mesmo por adquirir terrenos vinhateiros no Vale do Douro, começando elas próprias a produzir este néctar. No entanto, existem ainda vários produtores portugueses, muitos deles com séculos de história, como é o caso do Porto Ferreira, Ramos Pinto ou a Real Companhia Velha.

O que torna este vinho diferente?

A sua fermentação! Ao fim de dois ou três de se iniciar a fermentação, adiciona-se uma aguardente vínica neutra.

Tradicionalmente distinguem-se três tipos de Vinho do Porto: Branco, Ruby e Tawny.

BARCOS RABELOS

Estas águas são navegáveis desde tempos remotos, sendo povoadas pelos barcos rabelos desde o século XIII. Com a internacionalização do vinho do Porto o tráfego do rio aumentou, uma vez que estes barcos transportavam vinho, armazenado em pipas, até à  à cidade de Vila Nova de Gaia, onde se encontram as mais famosas caves de Vinho do Porto.

A melhor maneira de ver o Douro é fazer um cruzeiro às seis pontes

Os barcos rabelos servem atualmente de veículo turístico, dando a conhecer a águas do Douro, nos seus tours às "6 Pontes".  

Pode apanhar um barco na Ribeira ou em Vila Nova de Gaia. O cruzeiro dura apenas uma hora.  Os cruzeiros navegam por uma distância maior, subindo o Rio em direção à terra das vinhas, fazendo a ligação entre o Porto e a região do Douro, podendo ir para além da fronteira espanhola.