PORTO INVICTA

Banhada pelo rio Douro, é a cidade que deu o nome a Portugal - Portucale - sendo igualmente conhecida como a capital do norte.

Uma visita à cidade do Porto constitui uma viagem pelo tempo e pela diversidade de contextos artísticos. Quem passa pela Ribeira, revive as memórias de uma medievalidade esquecida, marcada pelas suas ruas estreitas e os seus monumentos, num diálogo interactivo entre o antigo e o moderno. Mas isto é apenas uma parte de todo o conjunto arquitectónico do Porto. 

Várias são as obras renascentistas, barrocas ou neoclássicas que se encontram pela cidade. A variedade artística e arquitectónica do seu centro-histórico valeu-lhe, em 1996, o reconhecimento de Património da Humanidade, pela UNESCO.

Assim que se entra na cidade, vê-se a Torre da Sé do Porto, e a magnífica Foz do Douro e zona da Ribeira com vistas magníficas sobre o rio e o Cais de Gaia, onde estão instaladas as famosas Caves do Vinho do Porto.

A cidade do Porto funcionou sempre como um importante interposto comercial marítimo de onde eram escoados e transacionados diversos tipos de produtos para a Europa, como o famoso Vinho do Porto. Em resultado desta vocação marítima, cresceu uma verdadeira aristocracria urbanha que, devido ao enorme poder económico alcançado, foram recebendo várias regalias por parte dos Reis de Portugal. 

Foi do Porto que saíram as frotas que conquistaram a cidade de Ceuta, em 1415. Já no séc. XVI, foi daqui que seguiram várias naus e caravelas, rumo à conquista do Novo Mundo (América e Ásia).

A EXPRESSÃO "CIDADE INVICTA"

No período da Guerra Civil (1832-1834), cerca de 8mil liberais, sediados na cidade do Porto, fizeram frente a 80mil soldados do exército de D. Miguel, que governava a cidade. Esta ação valeu-lhe o título de "Invicta", expressão que passou a figurar no brasão de armas da cidade.