Igreja do Mosteiro

No início do séc. XVI as paredes da Igreja ameaçavam ruína, pelo que foram iniciadas obras de restauro e reconstrução foram iníciadas. De acordo com a vontade de D. Manuel I,  de dar condigna sepultura aos dois primeiros Reis de Portugal  - D. Afonso Henriques e D Sancho I - aqui foram colocados os seus túmulos e foi ainda aumentado o espaço destinado aos fiéis.

A primitiva Igreja era de estilo românico, no modelo de igreja fortaleza, dado o perigo constante das incursões árabes. 

As paredes de toda a nave e capelas laterais são revestidas de azulejos do séc. XVIII, fabricados em Lisboa.Os do lado esquerdo aludem à descoberta de Santa Cruz e os da direita à vida de Santo Agostinho.

O Orgão Barroco, do século XVIII, substituiu outro de época anterior e é constituído por quatro orgãos e compõe-se de cerca de 3.420 tubos.

O Púlpito, do lado esquerdo, foi esculpida por Nicolau Chanterene em 1521, e esta obra renascentista apresenta os elementos indispensáveis à História da Salvação, plano comum aos púlpitos da época. Seu formato é poligonal com quatro faces que ostentam os quatro doutores da igreja: Santo Ambrósio, S. Jerónimo, S. Gregório e Santo Agostinho. Entre cada um dos nichos há duas estátuas sobrepostas de sibilas e profetas.