Igreja de Santiago e Panteão dos Cabrais

Este Monumento Nacional, sofreu diversas modificações ao longo dos tempos, no entanto, apresenta um traçado romântico, com alguns elementos góticos e maneiristas.  

Situada num dos caminhos portugueses de peregrinação a Compostela, a Igreja de Santiago seria um local, onde os Peregrinos encontravam um conforto espiritual no decurso da sua jornada. 

Pensa-se que tenha sido mandada construir em 1240, por intermédio da D. Maria Odil Cabral, por disposição de D. Gil Cabral. 

Nesta capela estão depositadas as cinzas de Pedro Álvares Cabral - descobridor do Brasil - e outros da sua família. 

No interior do monumento, pode observar-se uma Pietá do século XIV, em granito e policromática e pinturas murais, pelo menos de duas épocas, encontrando-se vestígios de um tríptico construído por figuras que representam Nossa Senhora, São Tiago e São Pedro. 

Adossado à Igreja está o Panteão dos Cabrais, ainda em construção em 1483. A renovação deste deve-se a Francisco Cabral, primeiro Alcaide de Belmonte após a Restauração, como a ele se devem alguns dos túmulos renascentistas ali existentes (1630). 

A torre sineira que lhe está próxima só foi construída no século XIX, em 1860.