Corpo de Cristo e o Homem de Musgo

Conta a lenda, que no dia de Santa Marina, os habitantes de Béjar se haviam escondido em El Castañar, numa fazenda denominada de La Centena para celebrar uma missa. 

No final desta missa, os homens cobriram as ruas roupa com o musgo que crescia no local, e ao amanhecer, seguiram em direção à fortaleza muçulmana, camuflados por esta roupagem, o que levou à reconquista da cidade para o cristianismo.

Todos os anos se celebrava a reconquista, até que no séc XIV, esta celebração funde-se com a Procissão de Corpo de Deus. 

Manda a tradição, que o Homem de Musgo, acompanhe o Corpo de Cristo pelas ruas da cidade que são enfeitadas para a ocasião: nas ruas onde passa a procissão, surge um tapete de tomilho que é benzido durante a procissão, por sua vez, as janelas e varandas enchem-se de flores e bandeiras para receber a romaria. 

Declarada Festa de Interesse Turístico Nacional, tanto pelo seu conteúdo religioso, como pela figura do Homem de Musgo e toda a sua história, o Corpo de Deus decorre no dia 17 de Junho e são cada vez mais as pessoas que ocorrem à cidade por altura dos festejos.