Arquivo Epigráfico

O Arquivo Epigráfico, situado no quintal do antigo lagar de azeite no sector sudoeste da aldeia, foi criado para mostrar seletivamente esta coleção, que anteriormente estava na Igreja de Santa Maria ou Sé. 

A coleção epigráfica romana de Idanha-a-Velha constitui uma das maiores e mais representativas coleções do país, recolhida em diversas fases da exploração arqueológica da aldeia.

O Arquivo Epigráfico é uma edificação de traço contemporâneo construída em ferro e vidro, para realce do contraste entre o antigo e o novo. O novo projeto museológico para este espaço permitiu o estudo e publicação desta importante coleção epigráfica, assim como a exposição Verba Volant, Scripta Manent (as palavras voam, os escritos permanecem). 

O projeto arquitetónico, da autoria de Alexandre Alves Costa e Sérgio Fernandez, é um edifício retilíneo que mostra seletivamente o notável acervo epigráfico de Idanha-a-Velha: um dos legados mais eloquentes da época romana, sendo a coleção constituída por 210 peças, num total de 274 achadas aqui ou no território envolvente. 

No seu interior, o recurso a soluções tecnológicas permite decifrar e interpretar as peças escolhidas. Aquando da construção do arquivo, nos trabalhos arqueológicos prévios às suas fundações, foi descoberta uma casa romana de átrio, que hoje se mostra em exígua parte.

Horário | De 2ª feira a domingo.

Inverno (de outubro a março): das 9,30h às 13h e das 14h às 17,30h.

Verão (de abril a setembro): das 10h às 13h e das 14h às 18h.

Encerra: 1 de janeiro, feriado municipal (Senhora do Almortão: terceira 2ª feira depois da Páscoa) e 25 de dezembro.