O Seminário

Mandado construir pelo Bispo Conde D. Miguel da Anunciação, as obras iniciaram com dinheiro proveniente da sua fortuna pessoal.

O projeto, de traço e gosto italiano, é da autoria do arquiteto italiano Giovani Tamossi que, após a sua trágica morte provocada pela queda de um andaime ao colocar os sinos numa das torres, viria a ser substituído pelo cenógrafo e pintor Giacomo Azzolini, que com ele viera de Itália.

A primeira pedra foi lançada a 16 de Julho de 1748, dez anos depois recebia os primeiros alunos, e foi solenemente inaugurado, após conclusão das obras, a 28 de Outubro de 1765.

O acesso ao conjunto arquitectónico faz-se através de um grande portão, ladeado por colunas em cantaria, semelhante ao do Jardim Botânico, suja porta de ferro forjado ostenta, ao alto, o brasão do Bispo Conde D. Manuel Correia de Bastos Pina.

O jardim/parque da entrada foi construído já no final do séc. XIX, ao gosto do estilo barroco, apresentando ao centro um conjunto circular de lagos em alvenaria com figuras mitológicas em pedra. No topo poente da rua transversal existe uma fonte/retábulo encimada por um pelicano.

O acesso ao edifício principal faz-se através de um portão de ferro e aplicações de bronze, feito em Bolonha; por cima, encontra-se um balcão de cantaria, que adorna a portada do Coro Alto da Igreja, sobre a qual se encontra o brasão do Bispo fundador deste Seminário.

Até 2012, era aqui que tinha lugar a formação eclesiástica, ao longo dos 6 anos do curso de Teologia, dos candidatos ao sacerdócio da Diocese de Coimbra, e também de outras Dioceses, nomeadamente Aveiro, Leiria, Portalegre-Castelo Branco, Cabo Verde, Beja, Macau. O Curso constava de 2 ciclos (Filosófico/Humanístico, 2 anos e Teológico/Pastoral, 4 anos), durante os quais os candidatos recebiam os ministérios de Leitor e Acólito e, posteriormente, as ordens de Diácono e Presbítero (Padre).

Clique abaixo para conhecer cada um dos espaços.